A Divisão do Prazer

Poucas bandas conseguiram ser tão influentes em tão pouco tempo. Um álbum lançado durante sua atividade. Um póstumo. Algumas coletâneas de singles, faixas ao vivo e sobras de gravação. Tudo isso foi suficiente para que o Joy Division fosse alçado às alturas míticas da música.

Injustamente chamado de “último romântico” do rock, graças às letras desesperançadas e seu suicídio, Ian Curtis na verdade cantava com mais lirismo que seus antecessores e seus contemporâneos a angústia, a falta de perspectiva e a crise econômica da Inglaterra do final dos anos 70.

Sua performance ao vivo era poderosa e agressiva, enquanto sua música soava mais esparsa, etérea e árida em estúdi, graças à contribuição de Martin Hannett.

Enjoy.

Disorder

New Dawn Fades

She’s Lost Control

A Means to an End

Digital

Atmosphere

Love Will Tear us Apart

Ceremony

Anúncios

2 Respostas para “A Divisão do Prazer

  1. Antes de tudo, parabéns por tantos videos. Na MTV, nunca vi outro senão o “Love Will Tear us Apart”.

  2. Fabio Martelozzo Mendes

    “Love” é uma canção linda. Mas não acho representativa da carreira da banda. É melancólica, mas melodiosa. Outras canções do Joy Division são mais ásperas, mais secas.

    Mas de qualquer modo, legal mesmo ver variedade. Eu, pelo menos, na MTV só vi “Love” e “Atmosphere”, outra canção maravilhosa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s