Futebol e porrada

A desculpa foi arranjada. Estava ensinando inglês para um grupo que, ao mudar de livro, cuja fonologia era baseada na pronúncia-padrão americana para um livro que enfatizava o inglês britânico, passou a enfrentar certas dificuldades para compreender o que escutavam. Então sugeri a meus alunos que assitissem (sem recorrer a legendas em português) alguns filmes como “Harry Potter”, “Bridget Jones” ou “Notting Hill”. Claro, como bons alunos eles não assistiram a filme nenhum. Então eu peguei esse título para servir  de exemplo para as diferenças de pronúncia entre ambas as variedades de inglês.

O filme é Hooligans. Ou, Green Street Hooligans, como saiu na Inglaterra. Conta a história de Matt, expulso de Harvard, que se muda para a Inglaterra para morar com a irmã. Lá passa a se envolver com a “firm” do irmão de seu cunhado, Pete, que apóia o West Ham United.

Peraí! Um americano vai pra Inglaterra e vira hooligan do West Ham! Verossimilhança pro saco. Claro. Mas como vender nos EUA um filme baseado em um produto cultural (futebol) ignorado e desprezado lá e como explicar um outro ambiente cultural (hooliganismo e ‘firms’) totalmente  restrito à Inglaterra? Ora, acrescentando um personagem americano, representado por um ator famoso (Elijah Wood) pra poder vender uns ingressos na terra de tio Sam. Aliás, essa foi a desculpa para eu passar esse filme. Um americano, um inglês bem sucedido e um bando de jovens classe média-baixa e baixa. Ou seja, exposição a três tipos de sotaque de inglês no mesmo filme. Perfeito.

Tirando a bobagem do Matt, o filme é um interessante, cru e por vezes cruel retrato da juventude de classe média-baixa e baixa nos subúrbios de Londres. Explica até com certo didatismo a cultura hooligan inglesa (a representação dos hooligans do Birmingham City – conhecidos como Zulu Nation por causa da grande influência e imigração negra em Birmingham é bem fiel ao que vi no documentário The Real Football Factories).

Aliás, o documentário “The Real Football Factories” é apresentado pelo ator Danny Dyer, que atuou no filme The Football Factory, que conta o conflito entre as “firms” de Millwall e Chelsea. Neste Hooligans os conflituosos são Millwall e West Ham. Em matéria de futebol o Millwall está a décadas nas divisões inferiores. Mas no que diz respeito a pancadaria, os caras são top.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s