Thank God it’s Friday – Eikbier Red Ale

Embora seja um mercado ainda incipiente e com pouco tempo de existência, já é possível consumir cervejas especiais apenas com as opções produzidas no Brasil. Claro que nosso mercado não se compara em tamanho e em opções a mercados como o dos Estados Unidos, este sim pululando com novos sabores a cada minuto, ou com o da Europa, por ser o local de origem da cerveja. Mas cada vez mais e melhores opções são apresentadas aos consumidores.

Uma dessas novidades é a Eikbier Red Ale, uma amber ale potente, saborosa e aromática. Seu teor alcoólico é de 6º (contra 4,5º das pilsens industriais brasileiras) e o álcool se faz presente no sabor, porém de forma harmoniosa, sem agredir o paladar. A cor é vermelho escura e tem boa formação de espuma. E há uma boa presença de lúpulo, tanto nos aromas frutados quanto no sabor.

Mas o que é talvez a principal qualidade das cervejas artesanais brasileiras também é seu principal problema. A alta qualidade das produções, tanto nas matérias primas (diferentemente das grandes cervejarias, nelas só entram lúpulos de alta qualidade e malte, não arroz, milho, sorgo e outros cereais) quanto na baixa quantidade produzida faz com que o preço seja bastante alto, comparado com cervejas similares no mercado europeu e americano. Isso aliado a uma política tributária estilo “Robin Hood às avessas” (tira dos pobres para dar aos ricos), que beneficia grandes empresas multinacionais que produzem um produto barato e pune pequenas empresas que dão emprego e geram riquezas nas pequenas cidades do país.

Esta cervejaria, no caso, se localiza em Taboão da Serra, Grande São Paulo, e é produzida por dois irmãos. Inclusive, mediante contato, é possível visitar a cervejaria e comprar diretamente da fábrica suas garrafas de Eikbier (que também produz uma porter, uma weiss e uma golden ale). Vale a visita.

Anúncios

4 Respostas para “Thank God it’s Friday – Eikbier Red Ale

  1. Mais um anotada.

    Fábio, sem querer ser chato, parece que a cerveja seria invenção dos sumérios, seja lá o que os arqueólogos encontraram e deram esse nome.

    Aliás, cabras bons os sumérios, criaram dois dos grandes prazeres do ato de viver: a cerveja e a palavra escrita.

    Já a Bahia, nos deu a axé-music e os ACMs.

    Bom fim-de-semana e boas cervejas.

  2. É brasileira mais o nome lembra qqr coisa em alemão… Pq não BierSilva? rsrs

    Quanto ao seu amigo aí em cima… A Bahia também nos deu a água de côco entre tantas outras piadas de bahiano… É! Não colou!

    []’s mano!

    T+Ver

  3. Fabio Martelozzo Mendes

    Thiago. Toda cervejaria brasileira, por mais brasileira que seja, quer ter um pedigree germânico. O nome da família dos donos da cervejaria é Carvalho. Aí eles utilizaram a palavra Carvalho em holandês, que é Eik (Oak em inglês). Daí podemos dizer que Eikbier na verdade é Cerveja do Carvalho (sem trocadilhos chulos).

    Poizé Anrafel. Pode anotar e provar que é das que vale muito a pena. Só não faz piadas com nordestinos que o Thiago, piauiense descendente de cearenses e criado em Franca reage. Mas com muito bom humor. 🙂

  4. Pingback: Thank God it’s Friday – Eikbier Porter « Por quem os sinos dobram-blog de Fabio M

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s