Um poema às quartas

manuelbandeira

CANÇÃO DAS DUAS ÍNDIAS

Entre estas Índias de leste
E as Índias ocidentais
Meu Deus que distância enorme
Quantos Oceanos Pacíficos
Quantos bancos de corais
Quantas frias latitudes!
Ilhas que a tormenta arrasa
Que os terremotos subvertem
Desoladas Marambaias
Sirtes sereias Medéias
Púbis a não poder mais
Altos como a estrela d’alva
Longínquos como Oceanias
– Brancas, sobrenaturais –
Oh inaccessíveis praias!…

Anúncios

2 Respostas para “Um poema às quartas

  1. “…
    Desoladas Marambaias
    Sirtes sereias Medéias
    Púbis a não poder mais
    …”

    Música, simplicidade, profundidade, sensualidade. Poesia a não poder mais.

  2. Fabio Martelozzo Mendes

    Na “letras” (essa frase me encanta até hoje: na letras…) todo mundo baba pelo Drummond. Que é bom. Mas eu sempre preferi Bandeira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s