Um poema às quartas

seamus_heaney

The disappearing island

Once we presumed to found ourselves for good
Between its blue hills and those sandless shores
Where we spent our desperate night in prayer and vigil,

Once we had gathered driftwood, made a hearth
And hung our cauldron like a firmament,
The island broke beneath us like a wave.

The land sustaining us seemed to hold firm
Only when we embraced it in extremis
All I believe that happened there was vision.

A ilha que desaparece

Quando nós presumíamos ficar para sempre
entre suas colinas azuis e aquele litoral sem areia
onde passamos noites desesperadas em oração e vigília,

quando havíamos recolhido a madeira flutuante, feito um lar
e pendurado nosso caldeirão como um firmamento,
a ilha quebrou-se debaixo de nós como uma onda.

A terra que nos sustentava pareceu firme
apenas quando in extremis a abraçávamos.
Creio que tudo o que ocorreu ali foi visão.

(Tradução: J.T.Parreira)

Anúncios

2 Respostas para “Um poema às quartas

  1. Mais um irlandês. Na môsca.

    • Fabio Martelozzo Mendes

      Yeats era um nacionalista de ascendência protestante. Heaney, um católico norte-irlandês pacifista. Ambos grandes poetas. Nas próximas semanas o foco volta pra Inglaterra, Estados Unidos e depois dois poetas de língua não-inglesa.

      Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s