Ainda o calendário do futebol

O tema do calendário está (ainda bem) na boca do povo. As revistas FourFourTwo e Trivela trataram desse assunto recentemente, uma nas páginas de sua revista e a outra no seu blog, reeditando uma matéria de um ano e meio atrás. O Juca Kfouri, o Emerson Gonçalves, o Fabio Kadow e outros jornalistas esportivos trataram do assunto recentemente.

Mais dois drops sobre o assunto. Um é outro artigo escrito pelo Luis Felipe Chateaubriand, publicado na Universidade do Futebol e no Blog do Juca.

Eis o artigo:

Adaptando o calendário do futebol brasileiro ao calendário mundial

Por LUIS FILIPE CHATEAUBRIAND*

A ideia de se adaptar o calendário do futebol brasileiro ao calendário europeu – que, pouco a pouco, vai-se tornando mundial – suscita polêmicas as mais diversas.

Há os defensores e os detratores dessa possibilidade. 

O presente documento visa mostrar por que adaptar nosso calendário ao que acontece na maioria dos países é algo vantajoso para os clubes do futebol brasileiro.

É comum que os defensores da adequação do calendário daqui ao da Europa sejam chamados de “colonizados”.

A dita adaptação seria uma imitação do que acontece em outro continente e, se a procedêssemos, estaríamos agindo como meros agentes reprodutores do que se faz lá fora.

 

Contudo, existem três argumentos a se opor a essa crítica.”

Continua aqui.

O outro é que o mesmo Juca Kfouri irá entrevistar o Chateaubriand em seu programa Juca Entrevista. Vejam os horários de transmissão:

Sábado, 15/08, às 21 horas.

Reprises:

Domingo, 16/08, às 00:00 horas.
Domingo, 16/08, às 11:30 horas.
Segunda, 17/08, às 13:00 horas.
Quarta, 19/08, às 11:00 horas.

Outros posts sobre calendário brasileiro neste blog:

https://sinosdobram.wordpress.com/2009/08/06/drops-calendario-do-futebol-brasileiro/

https://sinosdobram.wordpress.com/2009/07/25/revoada-e-descompaso/

https://sinosdobram.wordpress.com/2009/07/20/futebol-globalizado-aqui-nao/

Anúncios

5 Respostas para “Ainda o calendário do futebol

  1. Fabio,
    Nunca imaginei que esse assunto renderia tanto. E o que mais me impressiona nesse debate é a pobreza de argumentos daqueles que defendem a permanência do calendário ou que dizem que nada vai mudar.
    Meu Deus, que os globais defendam a manutenção eu até entendo, mas o restante da imprensa (como o Quintanilha no blog Trivela ontem) me deixa perplexo com tamanha incapacidade mental. Isso sem falar em alguns pitaqueiros que eu prefiro não nomear.
    Ainda sobre a mudança, aí vão dois links onde o assunto é abordado:
    http://negociosdoesporte.blog.uol.com.br/ (do Erich Beting) e http://futebolnegocio.wordpress.com/
    Grande abraço.
    Ps: O Bertozzi vai comentar PSV vs. Ajax pela ESPN, domingo de manhã. Vale a pena prestigiar.

  2. Para não dizer que não ouvi nenhuma voz pensante do outro lado, aí vai um link para o texto de Oliver Seitz da Universidade do Futebol:
    http://tinyurl.com/lewqrb
    Abs

  3. Fabio Martelozzo Mendes

    Alguns pontos levantados pelo Oliver são realmente relevantes. Outros nem tanto.

    De qualquer modo, há um grande erro neste debate, que é o de:

    a) Manter tudo como está
    ou
    b) Adotar o calendário europeu.

    Está errado.

    O calendário precisa mudar,mas não necessariamente para o modelo europeu. Ele pode mudar para o modelo russo, desde que preveja uma inter-temporada para os clubes excursionarem, como na Rússia ocorre.

    Precisa mudar porque os estaduais estão inchados, e isso independe da data de início da temporada.

    Precisa mudar porque as Copas (Brasil, Libertadores, Sulamericana) são pessimamente distribuídas no decorrer da temporada, impedindo alguns times de disputarem, sobrecarregando ora o início, ora o fim da temporada e relegando ao ostracismo a Sulamericana.

    Enfim.

    A argumentação está errada, e em matéria de argumentação, o Luis Felipe Chateaubriand disse que um bom calendário precisa ser:
    1 – esportivamente correto (sem sobrecarregar os atletas).
    2 – comercialmente interessante (ocupando toda a temporada dos clubes, diferentemente do que ocorre hoje nos clubes da série C e D).
    3 – sistêmico (integrado ao calendário do resto do mundo – o Russo é, embora não seja de agosto a maio).

    Esses debates continuam sendo ignorados.

  4. Concordo, apenas lembrando que o calendário que separa as duas competições sul-americanas não é o brasileiro mas o da Conmebol, algo que seria um debate à parte, mas tão relevante quanto.
    No que tange o nosso calendário, infelizmente é difícil imaginar uma redução drástica dos Estaduais com a força que as federações têm.
    Abs

  5. Pingback: Mudança de calendário do futebol brasileiro – uma entrevista « Por quem os sinos dobram-blog de Fabio M

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s